quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Mário Quintana


Toc... toc...
O passado me visitou ontem à noite.Veio
vestido com uma intenção de paz. Não o recebi
com assombro, afinal, minha alma não foi ferida
por ele. Mas por ser passado, não o convidei pra
entrar. Só abro a porta para o futuro.

É das gavetas do passado que tiro esse poema :

BILHETE

"Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda..."

Mário Quintana

Imagem: tirada da net

3 comentários:

No Palco da Vida disse...

Olá Mari, seu Blog está de Parabéns, ao ler os belos textos imagino um mundo Melhor diante das minhas perspectivas.
Fico Feliz em contribuir com a sociedade internauta belas Palavras que são introduzidas na Alma.
Beijos fique com Deus e estou te adicionando tchau

Sal Ober disse...

lindo este poema. fico muito lisonjeado por seguir meu espaço. muito muito gosto em sabê-la leitora das minhas coisas loucas.

um beijooo

http://coresemtonsdecinza.blogspot.com

Gl@uX-ray disse...

Oh! Mari nem acredito que percebeu minha ausência...
É que nesta semana as coisas estão meio complicadas para mim, mais assim que eu retornar te visitarei com mais frequência.E pode deixar que falarei do seu espaço aos meus poucos amigos.
Um grande beijo no seu coração!