terça-feira, 25 de maio de 2010

Alberto Caeiro


"Acho tão natural que não se pense/ Que me ponho a rir às vezes, sozinho,/ Não sei bem de quê, mas é de qualquer cousa/ Que tem que ver com haver gente que pensa."

Um comentário:

Grafite disse...

belo verso!
adorei aqui,
estou seguindo...

beiijo
*.*