domingo, 19 de abril de 2009

Rimbaud


Pelas tardes azuis do Verão, irei pelas sendas,
Guarnecidas pelo trigal, pisando a erva miúda:
Sonhador, sentirei a frescura em meus pés.
Deixarei o vento banhar minha cabeça nua.
Não falarei mais, não pensarei mais:
Mas um amor infinito me invadirá a alma.

Um comentário:

Marta Vasil disse...

Belíssima escolha Mari! Libertar-se de tudo para sentir o amor!... assim foi a minha interpretação.

beijinhos e boa semana

MV